Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO PROJETO SIRIUS

VOLTAR

O projeto Sirius tem como um dos seus objetivos estimular o desenvolvimento da indústria brasileira, por meio da indução de demandas de serviços, matérias-primas e equipamentos. A meta é aplicar entre 65% a 70% dos recursos financeiros do projeto dentro do País.

 

Dentre parcerias já estabelecidas, cita-se, como exemplo, a realizada com a empresa Termomecânica São Paulo S. A., de São Bernardo do Campo (SP), líder no setor de transformação de metais não ferrosos. A empresa desenvolveu o processo para fabricação das câmaras de vácuo do anel de armazenamento, feitas de uma liga de cobre e prata, bem como dos fios de cobre ocos para os eletroímãs, que permitem circulação de água para refrigeração.

 

Outro exemplo é a empresa WEG Indústrias S. A., de Jaraguá do Sul (SC). Tradicional fabricante de motores elétricos, colocada no ranking mundial, a WEG irá fabricar os mais de 900 eletroímãs do Sirius, projetados pela equipe técnica do LNLS.

 

Existem também exemplos de parcerias com empresas de menor porte, como a FCA Brasil, de Campinas (SP), para a fabricação das câmaras de vácuo do Booster, e com a empresa EXA-M Instrumentação do Nordeste Ltda. (BA), para o desenvolvimento e fabricação dos dispositivos para baking das câmaras de vácuo do anel de armazenamento.

PARCERIAS SIRIUS

Para ampliar a participação de empresas nacionais no projeto Sirius, outras ações sistemáticas foram realizadas. Tomando como base a análise de risco de 73 produtos que devem ser desenvolvidos, e considerando – além das áreas de atuação da indústria brasileira – o mercado para esses produtos e o desenvolvimento tecnológico requerido, foram escolhidos 29 desafios tecnológicos para serem desenvolvidos em parceria com a indústria brasileira.

 

Iniciou-se, em seguida, a busca por parcerias através de conversas com agências de fomento e associações de industrias. Em junho de 2013, o LNLS promoveu o Workshop Parcerias Sirius, visando apresentar a empresas os desafios do projeto Sirius e o modelo de seleção de parceiros. Das 50 empresas participantes, 21 enviaram cartas de intenção, demonstrando o interesse em desenvolver algum dos desafios apresentados durante o evento.

1º EDITAL FAPESP/FINEP

Finalmente, negociações junto à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e à Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (FAPESP) culminaram no lançamento, em setembro de 2014, da primeira chamada pública para seleção de empresas paulistas para o desenvolvimento de 20 das demandas tecnológicas do projeto Sirius, com recursos da ordem de R$ 40 milhões.

 

Esses recursos foram disponibilizados no âmbito do Programa PIPE/PAPPE Subvenção Econômica, de modo que cada proposta pudesse solicitar até R$ 1,5 milhão para seu desenvolvimento.

 

Saiba mais sobre o 1º Edital no website da FAPESP.

 

Foram selecionadas oito empresas que desenvolverão 13 projetos de pesquisa para a realização dos desafios propostos no edital. Considerando que as taxas de sucesso de programas como o PIPE estão entre 20% e 40%, vê-se que o modelo construído entre o LNLS/CNPEM e FAPESP/Finep foi bem-sucedido quanto ao percentual de projetos aprovados. A homologação das empresas e assinatura dos termos de outorga ocorreu ao longo do segundo semestre de 2015.

 

As empresas e propostas selecionadas foram:

  • Atmos Sistemas Ltda.: Desenvolvimento Final de Dispositivo Eletrônico para Medida de Posição de Feixe de Elétrons (EBPM) para Fonte de Luz Síncrotron do Projeto Sirius;
  • Engecer Ltda.: Desenvolvimento do Processo de Produção de Cerâmicas Covalentes (Nitreto de Boro Hexagonal e Nitreto de Alumínio) por Prensagem e Quente (Isostática e Uniaxial) como Componente para para o sensor BPM (Beam Position Monitor);
  • FCA Brasil Indústria Comércio Usinagem Peças Ltda.: Pesquisa e Desenvolvimento de Câmaras Especiais de Inox para Ultra-Alto Vácuo do Projeto;
  • Equatorial Sistemas S.A.: Detectores de Raios X: Integração de Sistemas Medipix de Grande Área para o Sirius;
  • Equatorial Sistemas S.A.: Monitores Fluorescente Fluorescentes de Feixe de Elétrons;
  • Equatorial Sistemas S.A.: Bloqueador de Fótons;
    Macnica DHW Ltda.: Módulos de Regulação Digital de Fonte;
  • Omnisys Engenharia Ltda.: Módulos de Regulação Digital de Fonte;
  • Omnisys Engenharia Ltda.: Fabricação, Montagem e Testes das Placas Eletrônicas (Front End, FMC e Back End);
  • Omnisys Engenharia Ltda.: Eletrônica dos Detectores de Posição de Fótons;
  • Omnisys Engenharia Ltda.: Fontes de Corrente de Alta Potência – Fase 2;
  • Luxtec Sistemas Opticos Ltda. Epp.: Projeto, Desenvolvimento e Fabricação de Protótipos de Componentes para Microfocalização de Raios X por Reflexão Externa Total, Mono e Multifilamentares para Linhas de Aceleradores Síncrotron;
  • Opto Eletrônica S.A.: Desenvolvimento de Processos de Fabricação e Caracterização de Componentes Ópticos de Altíssima Qualidade para Aplicação Em Sistemas de Focalização de Luz Síncrotron do Tipo Kirkpatrick-Baez.

 

Em Junho de 2016, FAPESP, Finep e LNLS realizaram o Workshop de Acompanhamento dos Projetos do 1° Edital FAPESP/Finep “Desafios Sirius” de subvenção econômica para o Desenvolvimento do Novo Anel Acelerador Sirius do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron que contou com a presença de representantes das agências e do Laboratório, assim como de representantes das empresas aprovadas no primeiro edital.

 

As empresas foram convidadas a apresentar o projeto pelo qual são responsáveis, o estágio de execução, as dificuldades encontradas e os resultados já obtidos nos primeiros meses do contrato. Foram 12 apresentações com o acompanhamento e interação de gestores das agências e dos envolvidos no LNLS.

 

2º EDITAL FAPESP/FINEP

Em agosto de 2015, uma segunda chamada pública de propostas foi lançada para o desenvolvimento de 13 novos desafios tecnológicos, com recursos da ordem de R$ 20 milhões no âmbito do mesmo programa.

 

O prazo final para envio das propostas pelas empresas foi encerrado em fevereiro de 2016. As propostas foram analisadas e, em dezembro, foram anunciados 11 novos projetos que receberão apoio para o desenvolvimento de produtos, processos e serviços para o Sirius.

 

As informações sobre a segunda etapa do Desafio Sirius estão disponíveis no website da FAPESP.

 

As empresas e propostas selecionadas foram:

  • PROMAC Equipamentos MS Ltda – Desenvolvimento de processos de fabricação e soldagem das câmaras de ultra alto vácuo para elementos óticos dos projetos Sirius;
  • WISERSOFT Tecnologia em Sistemas Ltda – Desenvolvimento do trem de monitoramento de túnel;
  • Tecnal Industria Comercio Importação Exportação Equip Laboratórios – Pesquisa, desenvolvimento e validação de um banho termostatizado inovador produzido no Brasil;
  • PHI Innovations Sistemas Eletrônicos Ltda – Controlador e driver para motor;
  • FCA Brasil Industria Comercio Usinagem Peças Ltda – Desenvolvimento de câmaras de ultra vácuo em alumínio para elementos ópticos das linhas de luz do Sirius;
  • BIOTEC Solução Ambiental Industria e Comércio Ltda – Desenvolvimento de cabanas experimentais para proteção radiológica (Hutches) para nova fonte de Luz Sincrotron do projeto Sirius (Linha Ema), com fabricação, montagem e testes de um protótipo;
  • RF Com Sistemas Ltda – Cabanas experimentais e óticas de blindagem radiológica para o projeto Sirius;
  • Duraferro Industria Comércio Ltda – Desenvolvimento de cabanas de proteção radiológica para operação nas linhas de processamento experimental da fonte de Luz Sincrotron Sirius;
  • TECNO-HOW Eng. Industrial e Comercial Ltda – Desenvolvimento de processo e teste de conceito aplicando manufatura aditiva e tecnologias adicionais para fabricação de soluções inovadoras e funcionais para linhas ultra alto;
  • Marco Antonio Barboza ME – Sistema de baking modular para câmaras de vácuo e outras aplicações correlatas;
  • Setup Automação Controle de Processos Ltda – Sensor hidrostático com três graus de liberdade para medição de nível e inclinação de água de alta precisão.