Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

Concepção

VOLTAR

LINHA DO TEMPO


HISTÓRIA

1980

O então presidente do CNPq, Lynaldo Albuquerque, requisita ao diretor do CBPF, Roberto Lobo, propostas para a construção de um laboratório com uma grande máquina de pesquisa que fornecesse infraestrutura para pesquisadores de todo o país.

O início da década viu o surgimento das primeiras fontes de luz síncrotron da chamada segunda geração: aceleradores circulares de elétrons capazes de produzir radiação síncrotron especificamente para seu uso no estudo de materiais.

1982

A proposta de um acelerador de elétrons para o estudo da radiação síncrotron é apresentada formalmente à comunidade científica em um encontro com as principais sociedades científicas do país promovido pelo CNPq, em agosto de 1982.
 
Em setembro, Roberto Lobo renuncia à direção do CBPF e é nomeado coordenador do Projeto Radiação Síncrotron e responsável por estudos de viabilidade sugeridos no encontro.

1983

Um comitê executivo é nomeado para o projeto, com a coordenação de Aldo Craievich, pesquisador do CBPF, e com membros externos ao centro ligados a UFRJ, UNICAMP e USP.

1984

O conselho técnico-científico do Projeto Radiação Síncrotron é nomeado, com a participação de cientistas de diversas instituições. Em 5 de dezembro, é formalmente criado o Laboratório Nacional de Radiação Síncrotron (LNRS) com direção temporária de Roberto Lobo.