Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

UMA EDIFICAÇÃO DIFERENCIADA

VOLTAR

Com 68 mil metros quadrados de área construída, o prédio principal terá quatro pavimentos com capacidade para até 620 pessoas, entre funcionários e visitantes. O formato predominantemente circular do edifício do Sirius é resultado da geometria do acelerador principal (anel de armazenamento), onde os elétrons são armazenados e a luz síncrotron é produzida.

Ele abrigará os três aceleradores de elétrons e as possíveis 40 linhas de luz, seis das quais são consideradas longas, com comprimentos variando de 100 a 150 metros. A edificação e sua implantação são pensadas de maneira que seja possível, ainda, construir duas futuras linhas com estações experimentais a até 250 metros de distância.

Além da área experimental, este prédio possui em seu interior áreas destinadas a utilidades e às fontes dos aceleradores. Em seu entorno haverá laboratórios de apoio, data centers, sala de operação e controle, áreas de convívio e escritórios.

A partir do centro da circunferência distinguem-se 5 faixas principais e concêntricas: Pátio Interno, Área de Engenharia, Blindagem dos Aceleradores, Hall Experimental, Área de Apoio.

Pátio Interno


O Pátio Interno é a área que recebe as instalações não abrigadas como chillers, reservatórios de água gelada para termoacumulação, tanques de armazenamento de gás hélio e óleo diesel.

Nela ainda está situado o marco geodésico central, utilizado como referência na malha de alinhamento dos aceleradores e linhas de luz. Nesse pátio situa-se também a edificação que abrigará a central de geração de energia elétrica para operação em regime de emergência e a central de recuperação do hélio utilizado nos dispositivos supercondutores dos aceleradores.

Um túnel sob a edificação principal permite o acesso ao pátio de veículos de grande porte, tornando possível a implantação modular dos equipamentos e instalações desta área.

Área de Engenharia


A Área de Engenharia abrigará duas casas de bombas, central de ar comprimido, subestação abaixadora de média para baixa tensão, sala de UPSs (no-breaks), sala de amplificadores de radiofrequência, moduladores para o Linac (acelerador linear), salas de apoio e manutenção. Contará também com uma segunda sala de operação e controle dos aceleradores para ocasiões especiais como manutenção, start-up e comissionamentos.

Circundando externamente a área de engenharia, a galeria de instalações terá três pavimentos. O pavimento térreo será destinado às salas de equipamentos de HVAC (ar condicionado) e salas para as principais fontes de corrente dos dipolos do anel de armazenamento e do Booster. Já o primeiro e segundo pavimentos serão destinados a pipe-racks para distribuição das utilidades direcionadas principalmente aos aceleradores, como eletricidade, dados, água para resfriamento e combate a incêndio, ar comprimido e gases.

Blindagem dos Aceleradores


A Blindagem dos Aceleradores é a área dentro da qual serão construídos o acelerador injetor (Booster) e o Anel de Armazenamento, ou seja, os equipamentos em que os elétrons são acelerados e a luz síncrotron é produzida. A blindagem proporcionará tanto a devida estabilidade dimensional e mecânica aos equipamentos, como garantirá a segurança radiológica das dependências do Sirius.

A blindagem será construída sobre um piso monolítico de concreto com 90 centímetros de espessura, suas paredes e coberturas espessas, também em concreto com espessura variável entre 80 centímetros e 1,5 metro.

Toda a blindagem será construída sem juntas de dilatação e constituirá, ao término da concretagem, em uma peça única com mais de 500 metros de comprimento médio.

A blindagem terá também aberturas em seu teto, que permitirão a movimentação de qualquer componente dos aceleradores com o uso de pontes rolantes instaladas sobre a região das blindagens e hall experimental.

A Blindagem funciona também como sistema de proteção radiológica, com o objetivo proporcionar a segurança de todas as pessoas que terão acesso às dependências do Sirius, garantindo que o ambiente seja caracterizado como livre de radiação. O programa de proteção radiológica é desenvolvido em conformidade com as normas brasileiras estabelecidas pelo CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear), assim como com padrões internacionais de proteção radiológica.

Hall Experimental


O Hall Experimental é a área que circunda a blindagem do anel de armazenamento e receberá as instalações e equipamentos que comporão cada linha de luz.

Em uma fonte de luz síncrotron, as linhas de luz são as estações experimentais onde os materiais são analisados. Elas são como microscópios complexos que acondicionam e focalizam a radiação síncrotron, para que ela ilumine as amostras dos materiais em estudo e permita a observação de seus aspectos microscópicos.

Entre suas principais características destaca-se seu piso em concreto com 60 centímetros de espessura, com paginação adequada à geometria das linhas de luz.

Área de Apoio


A Área de Apoio será composta de três pavimentos que desempenham um papel importante na estabilidade térmica do hall experimental, ao funcionar como uma barreira térmica entre o exterior e a área das linhas de luz.

O pavimento térreo concentrará todas as salas consideradas de apoio às linhas de luz. Nele serão instalados laboratórios químicos, físicos e temáticos, além de grupos de engenharia e da divisão científica, responsáveis pela operação, manutenção e melhoria das linhas.

O primeiro pavimento será destinado aos escritórios dos grupos de pesquisadores e alunos da divisão científica. Contará também com salas de reunião e de seminários, distribuídas por toda a extensão da área, o que permitirá a simultaneidade de eventos.

Já o último pavimento se destinará à área técnica, onde será feita a distribuição de energia elétrica, de ar condicionado, exaustão e ventilação.

O projeto prevê, ainda, um hall de entrada em três níveis. No térreo será instalada a recepção, uma praça de alimentação, salas para seminários e, de modo coligado, um anfiteatro com capacidade para 399 lugares. O primeiro e o segundo pavimentos serão destinados aos escritórios da diretoria e grupos de física de aceleradores e de engenharia.