English
Atualizações do Sirius

19 de Julho de 2021

No primeiro semestre de 2021 foi dada maior ênfase na melhoria da estabilidade do feixe, na operação em mais alta corrente, bem como na otimização do sistema injetor

A operação da fonte de luz síncrotron Sirius no primeiro semestre de 2021 dividiu os recursos humanos e tempo útil dos aceleradores entre estudos de máquina, instalações de componentes das estações de pesquisa, e o fornecimento de feixe para experimentos de comissionamento técnico e científico das linhas de luz.

20 de Outubro de 2020

LNLS abre chamada de propostas em qualquer área de pesquisa para experimentos de cristalografia de macromoléculas

Sirius continua avançando em seu comissionamento. Nos últimos meses, foram realizados os primeiros experimentos na linha de luz MANACÁ por pesquisadores externos dedicados a estudar os mecanismos moleculares relacionados à ação do vírus SARS-CoV-2.

Continuando a fase de comissionamento científico desta linha de luz, pesquisadores de outras áreas de pesquisa são convidados a submeterem suas propostas para utilizar a linha de luz MANACÁ, que permite o estudo da estrutura tridimensional de proteínas e enzimas humanas e de patógenos, com resolução atômica.

4 de Setembro de 2020

Proteína pouco entendida do vírus SARS-Cov-2 é um dos alvos do estudo da equipe da USP na nova fonte de luz

Em resposta à pandemia, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), antecipou a abertura da primeira estação de pesquisa do Sirius para apoiar pesquisas relacionadas à Covid-19. Pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos, da USP, foram os primeiros usuários da maior e mais complexa infraestrutura científica do País.

11 de Julho de 2020

Cristais de proteínas de SARS-CoV-2 foram primeiras amostras analisadas

A nova fonte de luz síncrotron brasileira, Sirius, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), realizou os primeiros experimentos em uma de suas linhas de luz nesta semana. A primeira estação de pesquisa a entrar em funcionamento, ainda em estágio de comissionamento, é capaz de revelar detalhes da estrutura de moléculas biológicas, como proteínas virais. Esses primeiros experimentos fazem parte de um esforço do CNPEM para disponibilizar uma ferramenta de ponta à comunidade científica brasileira dedicada a pesquisas com SARS-CoV-2.