Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

NOTÍCIAS

VOLTAR

 

 

Elementos Traço em Organóides Cerebrais Humanos

O estudo do desenvolvimento embrionário do cérebro humano e da distribuição de nutrientes durante essa fase foi, por muito tempo, limitado a modelos animais e tecidos humanos mortos. Muito mudou com os chamados organoides: mini-orgãos criados in vitro, em laboratório, a partir de poucas células do próprio órgão, de células tronco embrionárias ou células pluripotentes. Esses organóides apresentam uma micro-anatomia tridimensional simplificada, mas semelhante ao órgão real.

LEIA MAIS

Interação Complexa de Propriedades de Catalisador para Produção de $\rm H_2$

Na reação de deslocamento gás-água (water gas shift ou WGS), o CO reage com o vapor de água produzindo $ \rm CO_2$ e $ \rm H_2$. É uma reação importante para diminuir o nível de CO no gás de síntese, derivado do processo de reforma a vapor de gás natural ou outras fontes. Além disso, o WGS é uma das principais reações para produzir $ \rm H_2$ em escala industrial. Nesse caso, ela é realizada em duas etapas: a primeira a alta temperatura, com catalisadores à base de ferro, e a segunda a baixa temperatura, com catalisadores à base de cobre.

LEIA MAIS

Dispositivos Cataliticamente Ativos Semelhantes a Membranas

É bem conhecido que, para muitas reações catalisadas por metal, o suporte influencia as propriedades catalíticas das partículas do metal. O efeito forte de interação metal-suporte (SMSI) pode ser devido a:

  • efeitos geométricos: por exemplo, as nanopartículas metálicas (MNPs) são cobertas por grupos funcionais do suporte que migram para a superfície das nanopartículas durante a reação.
  • efeitos eletrônicos (transferência de carga entre suporte e nanopartículas).

De fato, a camada de cobertura pode criar novos sítios cataliticamente ativos ou também bloquear o acesso a eles, se tornando prejudiciais às propriedades catalíticas das nanopartículas.

LEIA MAIS

Submissão de Propostas de Pesquisa para as Linhas de Luz do LNLS

Está aberta a submissão de propostas  de pesquisa para as linhas de luz do LNLS (ver lista abaixo).

Período de Submissão: 01 a 31 de março de 2017. Tempo de Feixe: Segundo semestre de 2017.

As propostas de pesquisa são enviadas através do portal SAU Online. Saiba mais sobre o processo de submissão aqui.

LEIA MAIS

Reciclagem de Resíduos da Indústria de Curtume

O crescimento no uso de cerâmicas coloridas de alta qualidade estimulou a pesquisa no desenvolvimento de novas classes de pigmentos com durabilidade e reprodutibilidade de cor superiores, que possam ser produzidos usando procedimentos de síntese baratos, diretos e ecológicos.

Ao mesmo tempo, crescem os esforços para resolver os problemas ambientais relacionados à geração de resíduos por muitas atividades industriais. O desenvolvimento sustentável precisa fornecer reduções substanciais na geração de resíduos, usando estratégias de prevenção, redução, reciclagem e reutilização. Isso levou ao conceito de manufatura verde.

LEIA MAIS

Luz Pra Quê?

Nesta nova série de vídeos, você vai ficar sabendo quem são, de onde vem e o que fazem os cientistas que usam a fonte de luz sincrotron do LNLS. Estamos dando a largada às comemorações dos 30 anos do LNLS!

LEIA MAIS

Abertas as inscrições para a primeira Escola Brasileira de Síncrotron – EBS

Estão abertas as inscrições para a primeira edição da EBS - Escola Brasileira de Síncrotron: "Fundamentos e Aplicações", que será realizada de 10 a 21 de julho de 2017 no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, SP.

LEIA MAIS

Estrutura Eletrônica de Nanofios Magnéticos de $\rm Fe_3 Ga_4$

Nanofios pertencem a uma nova classe de materiais quase unidimensionais que têm atraído grande interesse devido a suas inúmeras potenciais aplicações como materiais funcionais em ciências biomédicas, eletrônica, óptica, dispositivos magnéticos e armazenamento de energia. Entre as várias formas de produzir nanofios, pode-se mencionar a fabricação assistida por molde, o mecanismo vapor-líquido-sólido, a epitaxia de feixe molecular e a nanolitografia eletroquímica. Em particular, as membranas de alumina nanoporosa têm sido amplamente utilizadas como moldes para conjuntos de nanofios magnéticos produzidos por deposição electroquímica devido à simplicidade, versatilidade, eficiência e implementação de baixo custo desta técnica. No entanto, os nanofios assim obtidos apresentam geralmente fraca cristalinidade e estão restritos a ligas metálicas.

LEIA MAIS

Difração de Nêutrons e de Radiação Síncrotron do Condutor de Prótons BZCY72

Dispositivos eletroquímicos de alta temperatura que exibem transferência preferencial de prótons têm o potencial de promover a mudança para uma economia de energia sustentável em que o hidrogênio substitui fontes de hidrocarbonetos como o principal combustível tanto para equipamentos estacionários quanto para transporte. As células de combustível de cerâmica protônica (PCFCs), com uma membrana de eletrólito cerâmico condutor de prótons, convertem a energia química do hidrogênio em energia elétrica em uma faixa de temperatura intermediária (773-1023 K). Este intervalo alivia os problemas tecnológicos e os custos associados não só com as temperaturas de funcionamento mais elevadas das atuais células de combustível de óxido sólido com base em electrólito condutor de óxido como também com os dispositivos poliméricos que requerem eletrocatalisadores caros devido à baixa temperatura de operação, abaixo de 373 K.

LEIA MAIS

Inibição Viral Mediada por Nanopartículas de Sílica Modificada

Vírus estão entre os agentes patogênicos mais nocivos e são responsáveis pela morte de milhões de pessoas a cada ano. Mesmo após o desenvolvimento de terapias anti-retrovirais que melhoraram a qualidade de vida e aumentaram a expectativa de vida de pacientes portadores de HIV/AIDS, o vírus da imunodeficiência humana (HIV) sozinho foi responsável pela morte de 1,2 milhão de pessoas em 2014. O desenvolvimento de novas estratégias para combater os vírus é necessário, uma vez que terapias antivirais e outras vacinas eficientes não estão disponíveis para muitas doenças virais. As nanoestruturas especialmente desenhadas para o combate a vírus emergiram como uma alternativa possível, uma vez que mostraram atividade contra diferentes vírus, incluindo a hepatite B, o vírus da imunodeficiência humana, o vírus do herpes simplex, o vírus sincicial respiratório, o adenovírus, o vírus da Influenza (gripe comum) e o vírus H1N1 da influenza A. Contudo, não se sabe muito sobre os mecanismos da ação antiviral dessas nanoestruturas.

LEIA MAIS

SALA DE IMPRENSA